Tripoli, Líbano.

· 3 Comentários

Voltamos!! Chegamos ontem de manhã cedinho e passei o dia todo tentando organizar as coisas chatas tipo desfazer mala(podia ter um botão que fizesse isso, né?) Minha mãe ficou esses 12 dias aqui em casa com o Chimito e como uma boa sagitariana hiperativa com ascendente em virgem and super mãe , não conseguiu ficar quieta e organizou toda minha casa! Até a geladeira ela limpou e ainda deixou várias comidinhas congeladas para a gente. Pode morrer de inveja, essa é a minha mãe.

Como vocês puderam perceber, não deu muito para postar na viagem então preferi chegar e postar as fotos boas, do que fazer mini posts com as fotos do iphone. Quem segue a gente no instagram @ferngalvao e @hilaskhouri pode acompanhar um pouco as nossas andanças…

Saímos de viagem no dia 02 e depois de uma escala e muitas horas de vôo chegamos no Líbano. O primo do Lee, nosso anjo da guarda da viagem, buscou a gente no aeroporto de Beirute e de lá fomos para Tripoli conhecer a família. A última vez que o Lee foi ao Líbano ele só tinha 2 anos então também foi tudo novo para ele. Eu tinha receio que o choque cultural fosse ser grande, não sabia muito bem como cumprimentar as pessoas, o que era certo e o que era errado, mas o que eu tive foi uma uma grande surpresa boa. Todos foram muito amorosos, e muito parecidos com uma família feliz brasileira. Todos se cumprimentam com 3 beijinhos, inclusive os homens. As duas dias, tio, e primos estavam muito felizes em nos ver e assim que chegamos já fomos recepcionados com quibes e outras delícias. Ficamos na casa da tia mais velha que era a casa dos avós que infelizmente não conheci. Mesmo com a distância todos amam muito o Lee e tem foto dele e dos irmãos assim como todos os outros netos por toda casa.

Estava muiiito quente e eu que fui de manga cumprida e saia longa porque não queria arriscar sofri. A família do Lee é cristã, mas Tripoli é basicamente muçulmana, consequentemente mais conservadora. Não precisa usar lenço na cabeça (a nao ser para entrar nas mesquitas), nem andar toda fechada, mas é bom evitar decote e vestidos curtos.

Quando não estavamos na casa das tias sendo paparicados e aprendendo receitas árabes (isso mesmo, vou postar em breve) estavamos vivendo como libaneses com o Akram, primo do Lee. Ele levou a gente para todos os lugares possíveis e imagináveis, foi bem feliz.

 Amanha Semana que vem eu falo um pouco sobre os pontos turísticos que a gente visitou.

arroz com lentilha

3 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *