Leishmaniose: o vilão é o mosquito, não o meu amigo.

· 2 Comentários

Há quanto tempo que eu não faço um post sobre cachorros, né? Mas hoje o assunto é sério e eu achei importante compartilhar com vocês.

[quote]A leishmaniose canina é uma doença endémica transmitida por um mosquito. É uma zoonose (doenças que atingem animais e homens) e  no Homem é conhecida como “Kala-azar.

O mosquito que transmite a leishmaniose vive principalmente nas regiões montanhosas e é ativo de Abril até Outubro. Não se sabe por que, mas os mosquitos são mais atraídos pelos cães do que outros animais, sendo o focinho e a parte interna da orelha as áreas mais picadas.

Um cachorro infectado nem sempre apresenta sintomas, muitos são imuno-resistentes, outros são portadores assintomáticos. As raças mais susceptíveis são o Boxer, Doberman, Rottweiler e Pastor Alemão.

A Leishmaniose canina apresenta uma diversidade de sintomas nos cães, desde os dermatológicos, como peladas, descamação e úlceras até sintomas viscerais e gerais, como a anemia, perda de apetite e atrofia muscular. [/quote]

Quando um cão é diagnosticado com Leishmaniose no Brasil, a indicação é sacrificá-lo. E teoricamente você não tem opção de escolher. Pânico? Desespero? Sim, passei por todos esses só de pensar na hipótese. Até pouco tempo atrás não existia vacina e o único meio de prevenção era a utilização de repelentes, ou a coleira anti-pulgas scalibor que também é protege contra moscas e mosquitos. Mas aí que inventaram a vacina. Ela não protege 100% e nem de todos os tipos, pois o mosquito muda de acordo com a região, mas na minha opinião, qualquer proteção é melhor que nenhuma proteção. Demorei um tempo até decidir fazer a vacinação, mas fiquei sabendo de alguns casos no Rio e o desespero tomou conta de mim.

O procedimento é o seguinte: você faz um exame de sangue para atestar que seu cão não está infectado e depois começa o ciclo de 3 doses de vacinação. O intervalo entre as doses tem que ser de 21 dias exato, não pode deixar pra vacinar no dia seguinte. Essa vacina não faz parte das obrigatórias e ainda tem bem pouca divulgação sobre o assunto. Conheço várias “mães de cachorros” dedicadas que desconheciam essa doença horrorosa.

Foi por isso que A ARCA Brasil criou a campanha “Cão não é o vilão“ para conscientizar a população sobre a Leishmaniose Visceral Canina (LVC).

“Como o próprio slogan fala, o cachorro  não é o culpado, e sim o mosquito. Matar o cão está longe de ser uma solução e de maneira alguma é uma medida eficaz no combate contra a doença.” ( Conversando com uma amiga que já passou por isso, fiquei sabendo que o mosquito só transmite a doença se o cão estiver em estado crítico – ou seja se a doença for tratada não há riscos – e o cadáver de um cão que estava nesse estágio da doença continua sendo transmissor – ou seja qual sentido faz matar os cãeszinhos?)

arca-brasil-campanha-leishmaniose-visceral-canina

Objetivos da campanha:

– Revogação da portaria Interministerial 1426/98 (proíbe o tratamento dos animais infectados ou doentes).

– Revisão do atual programa de vigilância e controle da Leishmaniose Visceral, dando ênfase ao controle do mosquito vetor.

– Proteger e defender os direitos dos animais, em particular o cão, hoje um membro da família.

Celebridades apoiam a campanha

 Cléo PiresFafá de BelémDoda MirandaGiovanna EwbankFernanda TavaresThaila Ayala e Fiorella Mattheis.

cao-nao-vilao-campanha-fernanda-tavares-leishmaniose-visceral-canina

Boo e Chimi já receberam o resultado NEGATIVO do exame de sangue e estão prontos para começar a vacinação ;). Tudo isso graças a minha amiga/anjo da guarda/psicóloga e veterinária dos meninos. Ela é tipo pediatra mesmo, ligo/mando whatsapp desesperada sempre que que acontece qualquer coisinha diferente com eles e ela sempre resolve <3

Quem for do Rio e estiver precisando de uma vet de confiança eu super recomendo!

Dra. Paula D’avila (especialista em oftalmologia) – (21) 9983-7573

[email protected]

Fontes: Aqui e Aqui

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *