Enxoval para bebê útil x fútil

· 3 Comentários

Você fica grávida e de repente tem que comprar tudo que uma mini pessoa precisa por 1 ano pelo menos. Só que você é nova nisso, como faz para saber o que precisa? Geralmente as amigas, amigas de amigas e primas das amigas das amigas tem várias planilhas prontas para montar um enxoval no Brasil e lá fora. Você dá uma olhada e pensa aiiii será que precisa disso tudo? Respira fundo, confia na sua intuição pra cortar algumas coisas ou acrescentar outras, mas uma coisa é certa… Você vai errar. Vai acabar cortando o que precisa e vai gastar dinheiro com coisas supérfluas. Tá bem, tem gente que acerta, mas comigo foi assim. Então vou falar o que na MINHA experiência foi bacana e o que faltou nessa saga. ps: Fazer enxoval de segundo filho deve ser maravilhoso, né? E já ofereço aqui meus serviços de consultoria in loco para as próximas amigas grávidas. Me convidem que eu vouuu, rs

 

Útil

1. Charutinho swaddle me com velcro: Me deram a dica, procurei, mas não fazia ideia do que era (não fiz as compras pela internet antes) e achei que tranquilo se não levasse, levei os panos de swaddle (cueiros) regulares e nunca, jamais em tempo algum consegui amarrar minha filha num charutinho decente. Mas a união faz a força e uma das minhas amigas/mães me deu um o que garantiu noites de sono muito mais tranquilas por pelo menos 3 meses. O negócio é tipo mágico, não deixe de comprar (uns dois já é suficiente).

2. Tapete de atividades: Herdamos o nosso junto com vários brinquedos do filho de uma amiga. Coloquei ela desde muito pequena e ela sempre amou, ficava hipnotizada pela música e luzes coloridas que acendem. A versão “analógica” só com brinquedinhos pendurados também faz sucesso.

3. Babador de silicone: Introdução alimentar = a lambança. Imagina a trabalheira de lavar babador de pano a cada refeição? Esses babadores de silicone com uma espécie de bolsa é realmente um negócio genial. O único problema, é que as vezes ela acaba se distraindo e prefere comer o babador que a comida, rs. Confesso que ultimamente tenho deixado de fralda na cadeira e quando termina vai direto pro banho. Esses aqui também são bem legais e bem fáceis de lavar.

4. Potes térmicos Thermos Foogo: Quando acaba o período de amamentação exclusiva dá uma dorzinha no coração porque acaba também a praticidade de alimentar seu bebê a qualquer hora em qualquer lugar. Mas com esses potinhos é super tranquilo de transportar as papinhas na temperatura ideal sem o risco de melecar toda a bolsa do bebê. A gente tem dois e acho bem suficiente.

5. Ergobaby: arrisco dizer que é a peça mais importante/querida do nosso enxoval. Tentei e até curti diversos slings, mas nada se compara a praticidade, segurança e conforto do ergobaby. Não vale os outros cangurus como o Chicco, Baby Bjorn etc, Ergobaby é amor eterno, amor verdadeiro, infinitamente superior mesmo. O neném fica na melhor posição para a coluninha dele e a nossa também é poupada. Pode usar por bastante tempo, suporta até 18 quilos. O meu é a versão clássica, dá pra usar de frente (bebê virado para a gente) de lado e de costas, a versão 360 é queridinha de muitas mamães porque podem colocar o bebê para “ver o mundo”. Lá fora é beeem mais barato.

6. Nosefrida: Nada é mais agoniante que um bebê com nariz entupido. O pobrezinho não sabe assoar o nariz e qualquer resfriado é capaz de fazer ele perder o sono, e você consequentemente. Já tinha ouvido diversos relatos de pais que “chupavam” o nariz do bebê para aliviar, porque se você ainda não tem filhos eu te garanto: nasce o bebê, morre a frescura. Daí que algum gênio inventou um jeito de fazer isso, sem o contato boca-nariz. É o nosefrida. Descarte qualquer outro desentupidor de nariz de bebê, o nosefrida é o único que não incomoda e funciona.

7. Colic calm: Diversas mães, pais e bebês sofrem com as temidas cólicas e é sempre um Deus nos acuda de noites mal dormidas, desespero, sofrimento e dietas mega ultra restritivas para a pobre mãe lactante. Graças a Deus Maria não sofreu com isso. Um dia ou outro eu sentia que ela estava incomodada com gases e o Colic Calm salvava. Vale a pena ter em casa.

Fútil

1. Bicos de silicone para amamentação: É o clássico quis ajudar, mas atrapalha. No começo a amamentação dói mesmo, mas resista, invista na pega correta que dentro de pouco tempo tudo vai ficar bem. Os bicos de silicone aliviam essa dor a princípio, mas promovem uma pega errada que pode jogar tudo por água abaixo. Morria de medo de alguma coisa atrapalhar a amamentação, então nem ousei testar. Mas tinha comprado, just in case, por insegurança. Não compre. 1.1 Concha para seios: Não vale a pena mesmo arriscar uma cândida na mãe e no bebê. Livre demanda e se encher demais e o bebê estiver dormindo tira com bomba e doe para o banco de leite da sua cidade.

2. Milhões de mamadeiras: É verdade que ninguém pode prever se tudo vai correr bem na amamentação e foi por isso que comprei várias mamadeiras. Mas mesmo que eu tivesse precisado dar mamadeira eu comprei de mais, comprei de vários tipos porque ela poderia se adaptar a uma e não a outra. Acho que foi over. Um kit da avent que depois pode ser adaptado com bico de transição teria sido suficiente.

3 Chupetas: Filha de fonoaudióloga eu ouvi a vida inteira que chupeta é praticamente um objeto do diabo. Mas mesmo assim comprei, sei lá porque também. Doei a maioria e ainda deixei umas 3 na gaveta por motivo de segurança. Se você decidir que chupeta é a boa para seu neném (sem julgamentos, cada família é uma), compre.

4. Sapatinhos pequenos: As avós e tias amam, mas bebê e sapato não combinam. Eles não andam, machuca e incomoda os pezinhos delicados. Existem várias meias que imitam sapatinhos bonecas paras as meninas e tenizinhos para meninos e meninas.

5. Fralda de piscina: Mal comecei a usar e já me arrependi. Primeiro que para ela não absorver toda água da piscina/mar e ficar gigante como a convencional, ela também não segura o xixi(mães experientes, me corrijam se eu estiver falando besteira, mas aqui já vazou algumas vezes). Ou seja só dá para colocar na hora de entrar na piscina e abstrair como fica aquela água cheia de crianças usando o mesmo tipo de fralda, rs. Não conhecia, mas os biquínis da marca Iplay não precisam de fralda, tem um mecanismo tipo a fralda ecológica. Dá mais trabalho, mas funciona melhor e é bem mais econômico.

6. kit berço: Pensei bastante antes de comprar esse item. Já tinha ouvido falar que não era seguro pelo risco de sufocamento, mas tinha receio de deixar o berço sem nada.(Quando o bebê cresce um pouco, também tem o risco dele usar o protetor como “escada” e pular pra fora do berço) Acabei optando por uns rolinhos, que vão servir mesmo quando o berço virar mini cama, mas quando ela tinha uns 4 meses e começou a rodar eu percebi que eles estavam tolindo os movimentos dela e fiquei com medo dela enfiar a cara neles e adormecer. Acabei tirando tudo e achei bem melhor. Fique tranquila, o bebê enfia as perninhas entre as grades, mas não vai machucar, e bater a cabeça na grade dormindo é bem raro e bem menos grave.

 7. Redinha de alimentação: Quando eu vi na Babies “R” Us achei o máximo, comprei uma do Elmo fofo até que o pediatra disse que nem pensar (fuem fuem fuem). Segundo ele a fruta serve para ela aprender a comer e entrar nas papinhas salgadas, então não faz o menor sentido o “sacolé do elmo”. Além disso é muito importante o bebê sentir as texturas dos alimentos.

 

 

 

 

3 Comentários

  • 1- EEEEEEEEE!! em otima horaa!! vou adotar todas as dicas!!
    2- quero muito ver vocês todos (nunca conseguimos marcar nada, ai agora eu to gravida e vc com um bebe, parece impossivel mas enfim, eu quero)
    3- uma amiga minha conheceu sua parteira outro dia <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *